5 práticas que você faz no Marketing Digital que vão contra a LGPD

Desde setembro de 2020 está em vigor a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Se você trabalha com Marketing Digital, certamente já ouviu falar dessa legislação que traz várias mudanças acerca da proteção e uso de dados pessoais. Mas qual a relação entre a LGPD e marketing?

Na prática, a LGPD estabeleceu critérios para o uso, coleta, armazenamento e compartilhamento de dados pessoais dos cidadãos no país. Desde então, é preciso ter cuidado redobrado ao produzir landing pages, formulários, e-mail marketing, entre outras atividades da área.

O objetivo é garantir segurança, privacidade e transparência. No entanto, para atender às exigências, o profissional de marketing digital precisa estar preparado e seguir algumas orientações.

Neste post, vamos deixar mais claro os principais pontos que precisam ser entendidos por quem atua no marketing digital por conta da LGPD. Além disso, vamos falar sobre 5 práticas que vão contra o marketing e LGPD.

Boa leitura!

PROTEJA A SUA EMPRESA COM UM SEGURO PARA RISCOS CIBERNÉTICOS

Leia também: 5 mudanças a fazer no RH depois da LGPD

Mas do que se trata mesmo a LGPD?

Conforme já destacamos acima, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) foi aprovada com a Lei nº 13.709, de agosto de 2018. O cumprimento da legislação é fiscalizado pela Autoridade Nacional de Proteção de Dados Pessoais (ANPD), que pode aplicar penalidades em caso de desrespeito.

Com a LGPD, o tratamento de dados pessoais, tanto de pessoa física como jurídica, mudou para proteger os direitos de liberdade e privacidade.

A lei também difere dados pessoais de dados sensíveis, sendo dados pessoais informações como RG, CPF e e-mail e dados sensíveis aqueles que podem gerar discriminação a uma pessoa, como raça, etnia, religião, orientação sexual, e assim por diante.

Outra parte importante da LGPD é o consentimento do titular dos dados, como mostra o Artigo 11, II, da lei. Ou seja, o titular dos dados pode solicitar exclusão, transferência para outro fornecedor, ou até revogar o consentimento.

LGPD e marketing: o que tem a ver?

Tem tudo a ver. Principalmente quem trabalha com inbound marketing, que é o marketing de atração onde se usam blogs, podcasts, e-books e outros para vender.

Isso porque é a partir dos dados de clientes, por exemplo, que as empresas traçam planos de ação de divulgação de um produto ou serviço. Em outras palavras, os dados são essenciais para compreender os públicos.

É aí que a LGPD impacta de forma importante no marketing. Sendo assim, vamos falar de 5 práticas que, se você trabalha com marketing digital, deve abolir da sua rotina.

5 práticas do marketing que vão contra a LGPD

1. Trabalhar com base de leads duvidosas

Se você trabalha com prospecção de marketing e vendas, precisa estar atento às regras da LGPD. Ou seja, para fazer comunicação com os públicos, você precisa que a lei autorize, que tenha base legal.

Ao todo, a LGPD tem 10 bases legais que permitem às organizações utilizarem os dados. As mais comuns são consentimento, legítimo interesse e contratos.

O aumento do seu banco de dados de contatos depende do correto entendimento desta parte da lei. 

2. Prospecção invasiva

Muito cuidado com o marketing agressivo na hora de prospectar novos clientes. Isso não quer dizer que a LGPD dificulte a parte comercial, no entanto, é preciso entender e se adequar à lei. Atitudes invasivas e discriminatórias, por exemplo, são ilegais.

Outra situação bastante comum é a compra de listas de contatos, fornecidas por empresas que trabalham com dados. Para isso, você precisa conhecer muito bem essa empresa e se as práticas estão previstas na LGPD.

3. Coletar dados demais

Outro erro bastante comum no marketing digital e que vai contra a LGPD é coletar dados em excesso dos contatos. Afinal, muitas vezes não é necessário solicitar o número de celular, por exemplo.

O mais indicado é coletar apenas informações que são essenciais para o funcionamento da sua empresa.

4. Disparo de e-mail marketing

Na hora de enviar e-mail marketing para suas listas de contatos, é preciso ter o consentimento de todos eles. Sim, isso é muito importante para não ir contra a LGPD.

Por essa razão, vale caprichar na landing page, ou seja, na página que captura os contatos, e na coleta de dados dos públicos, sempre deixando claro a Política de Privacidade. 

5. Dificuldade para sair de uma lista

Não adianta tentar esconder no e-mail marketing o botão para descadastrar do envio. Isso também é outra atitude que vai contra a nova lei.

Na prática, a saída de um serviço de recebimento de informações deve ser facilitada, assim como foi a entrada. Não tente esconder botões ou fazer um processo pouco intuitivo.

Leia também: Ataques cibernéticos? O que é e como se proteger dessa ameaça

LGPD e marketing: ficou alguma dúvida?

Agora você já sabe um pouco melhor a relação entre LGPD e marketing, além dos cuidados a serem tomados por conta da lei durante as atividades na área.

Na NV Seguros Digitais, você contrata o seguro que abrange atos de violação de segurança e privacidade, incluindo multas e sanções da LGPD. Ele tem proteção em casos de danos reputacionais, custos de violação de dados e outros. Faça já um orçamento e proteja sua empresa!

Fique por dentro de tudo o que você precisa saber sobre LGPD e cyber segurança no nosso blog!